A lógica das respostas prontas

Por Ellen Moraes Senra

   Vivemos num eterno tic tac de relógios imaginários e reais, mas a coisa chega a tal ponto que queremos respostas prontas, mastigadas e até mesmo deglutidas em nossas mãos, afinal, pensar dá trabalho não é mesmo? Que tal evitar a fadiga?

Sou psicóloga e abraço a minha profissão diariamente como se fosse a fonte de oxigênio que me sustenta nos momentos mais difíceis, mas o faço justamente porque sei que não existe lógica absoluta nem mesmo nas ciências mais exatas, então por que não admirar uma forma de ciência que me leve a pensar e a assumir por minha própria conta e risco o processo de reencontro, assumir responsabilidades, e admitir que sou protagonista da minha própria vida?

A vida é um suspiro e vivemos em época em que o som de uma mensagem chegando nos gera ansiedade tamanha que, somente após verificar do que se trata o problema é resolvido, fará exigir das pessoas que elas necessitam enxergar por própria conta e risco aquilo que precisam fazer em seu processo de melhora. Sim, melhora, pois a cura é algo que está ainda distante em demasia do imediatismo humano.Veja bem, querer respostas que me resolvam a vida de mão beijada eu também queria, até porque se não desse certo teria a incrível segurança de culpar o outro e não a mim mesma pelo ato falho e, pensando por esse lado, existe algo melhor? Sair do senso comum, da zona de conforto da nossa bolha de segurança gera dor, desconforto, incomoda…e é justamente por essa razão que admiro a coragem dos que tentam, pois o processo de melhora são para os bravos e persistentes, jamais para os pessimistas e preguiçosos, ainda que pensem assim aqueles que entram pela porta do consultório acometidos por alguma patologia que lhes atribua tais características. Porém aqui lhes digo, a ação é o que determina a coragem e não a ausência de medo.

Bom dia senhores e até o próximo texto!

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *