Sobre os sentimentos indesejados

Reflexões por Psicóloga Viviane Cavalcanti

 

   Como temos lidado com sentimentos indesejados, como agressividade, inveja, cobiça, fraqueza, etc, que habitam em nós?
Por que temos visto tanta divisão, tanta intolerância, desrespeito ao outro?
Aqui apresento um conceito elaborado por Jung e que precisamos ter conhecimento, e ter coragem de olhar, e tratar na análise, caso queiramos ter relacionamentos saudáveis e uma sociedade também mais saudável.

“O termo ‘sombra’, como conceito psicológico, refere-se ao lado obscuro, ameaçador, e indesejado da nossa personalidade. Nossa tendência, no desenvolvimento de uma personalidade consciente, é buscarmos incorporar uma imagem daquilo que gostaríamos de ser. As qualidades que pertenceriam a essa personalidade consciente, mas que não estão de acordo com a pessoa que queremos ser, são rejeitadas e vêm a constituir a sombra. (…) No curso do desenvolvimento psicológico, identificamo-nos com o ideal de ego, rejeitando as qualidades que o contradizem. Mas essas qualidades que foram rejeitadas não cessam de existir simplesmente porque a elas lhes foi negada uma expressão direta. Ao contrário, elas permanecem dentro de nós (…). A maneira mais comum com que as pessoas tentam lidar com o problema da sombra é simplesmente negar a sua existência. Isso acontece porque o despertar da sombra traz culpa e tensão, e nos força a uma difícil tarefa espiritual e psicológica. Por outro lado, a negação da sombra não resolve o problema, mas simplesmente deixa-o pior. Por conseguinte, não só perdemos o contato com os aspectos positivos desse lado obscuro de nós mesmos, como também o projetamos em outras pessoas. Projeção é um mecanismo psicológico inconsciente que ocorre sempre que uma parte de nossa personalidade, quando ativa, não tem relação com a consciência. Essa parte não reconhecida, mas muito viva em nós, projeta-se sobre outras pessoas de tal modo que vemos algo nos outros que realmente é uma parte de nós mesmos, o que provocará resultados negativos à medida que os relacionamentos se processam. Se outras pessoas carregam para nós a projeção do nosso próprio lado obscuro, que odiamos, reagiremos a elas de modo condizente.”

Sanford, John A. Mal, o lado sombrio da realidade. São Paulo: Paulinas, 1988.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *